Assembleia Legislativa do Estado de Santa Catarina Agência AL

Facebook Flickr Twitter Youtube Instagram

Pesquisar

+ Filtros de busca

 
Assistir
14:00 Sessão Ordinária
Ao vivo

Revista Digital

Cadastro

Mantenha-se informado. Faça aqui o seu cadastro.

Whatsapp

Cadastre-se para receber notícias da Assembleia Legislativa no seu celular.

Filtrar por deputado / bancada
Aumentar Fonte / Diminuir Fonte
28/06/2018 - 11h03min

Eskudlark critica Governo Federal por cortar investimentos em rodovias

Imprimir Enviar
“Temos que montar uma força tarefa e lutar pelo nosso Estado, isso é assunto para o governador encabeçar com a Fiesc", disse o deputado

Parlamentar classificou como absurdo o tratamento do Governo Federal com Santa Catarina e pede união de forças do poder público e privado para que o presidente Michel Temer reveja a situação

Em um forte pronunciamento no plenário da Assembleia Legislativa Catarinense, nesta terça-feira, dia 26, o deputado estadual Mauricio Eskudlark (PR) fez duras críticas ao Governo Federal pelo corte de recursos da União, que atingem em cheio os investimentos em obras de nossas rodovias federais.

O parlamentar avaliou como um verdadeiro absurdo o tratamento que Santa Catarina tem recebido pelo Governo Federal e pediu uma ação emergencial. “Temos que montar uma força tarefa e ir lutar pelo nosso Estado, isso é assunto para o governador encabeçar com a Federação das Indústrias (Fiesc) e com todos os partidos para sentar com o presidente Michel Temer e mostrar que esta situação não é sustentável”, sugeriu Eskudlark.

De acordo com o deputado, os cortes em obras de infraestrutura no país serão de R$ 577 milhões, sendo que, deste montante, R$ 177 milhões serão retirados dos investimentos previstos em obras nas rodovias federais catarinenses. “Não podemos mais aceitar essa exploração que já vem de anos, Santa Catarina representa 1,2% do território nacional, e os cortes chegam a quase 27%, obras importantes nas BR’s 163, 282, 470, entre outras, deixarão de receber recursos, prejudicando a logística e trazendo prejuízo para Santa Catarina, lamentou.

Acompanhe Maurício Eskudlark


Maurício Eskudlark
Voltar