Assembleia Legislativa do Estado de Santa Catarina Agência AL

Facebook Flickr Twitter Youtube Instagram

Pesquisar

+ Filtros de busca

 
Assistir
12:45 Jornal da Tarde
Ao vivo

Revista Digital

Cadastro

Mantenha-se informado. Faça aqui o seu cadastro.

Whatsapp

Cadastre-se para receber notícias da Assembleia Legislativa no seu celular.

Filtrar por deputado / bancada
Aumentar Fonte / Diminuir Fonte
21/11/2018 - 10h46min

Deputado Venzon repercute a situação de médicos cubanos

Imprimir Enviar

Para Venzon, programa foi uma forma do PT tirar dinheiro do Brasil e mandar para aliados

O deputado estadual Serafim Venzon (PSDB) usou a tribuna para repercutir o fim da participação de médicos cubanos no Programa Mais Médicos. O parlamentar, que também é médico, é a favor do Revalida, prova que certifica profissionais formados no Exterior a trabalharem no Brasil. Os médicos cubanos que atuam no país não passaram por esta avaliação.

O Mais Médicos é um programa criado no governo Dilma Rousseff do PT. “A idéia inicial seria levar atendimento médico ao interior, nas cidades mais carentes, mas na prática não é bem isso que acontece”, afirma Venzon. Em Santa Catarina há 250 médicos cubanos. Cerca de 25% deles estão em cidades como Mafra, Joinville, Navegantes, Içara e Caçador. “São municípios que facilmente atrairiam médicos brasileiros”, destaca.

O que é mais grave, na visão de Venzon, é que o Brasil paga R$ 11.520 por médico cubano. No entanto, desse valor, apenas cerca de R$ 3 mil fica com o profissional. O restante vai para o Governo Comunista de Cuba. “É uma maneira de tirar dinheiro do Brasil e mandar para um aliado do PT, que elaborou essa formula esdrúxula de trabalho”, lamenta Venzon.

Com o fim do acordo selado na era PT o regime cubano deve perder mais de R$ 1,1 bilhão por ano. O valor supera as exportações de charutos e cria mais um desafio econômico para o país.

“Não faltam médicos no Brasil”

O número de médicos no Brasil aumentou 23% em sete anos. Atualmente, o país tem 451.777 médicos e a estimativa é de ter meio milhão em 2020. Há um crescimento também nos cursos de medicina pelo interior dos Estados. Hoje já existem 289 cursos. “O Governo Federal precisa criar atrativos para que médicos brasileiros fiquem no interior dos Estados e também usar a prova Revalida, inclusive para médicos cubanos, que pretendam continuar no país”, afirma.


Ana Maria Leal da Veiga

Assessoria de Imprensa Serafim Venzon

(48) 9.9633.4105 | (48) 3221.2717

Acompanhe Serafim Venzon


Serafim Venzon
Voltar