Assembleia Legislativa do Estado de Santa Catarina Agência AL

Facebook Flickr Twitter Youtube Instagram

Pesquisar

+ Filtros de busca

 
Ao vivo

Revista Digital

Cadastro

Mantenha-se informado. Faça aqui o seu cadastro.

Whatsapp

Cadastre-se para receber notícias da Assembleia Legislativa no seu celular.

Filtrar por deputado / bancada
Aumentar Fonte / Diminuir Fonte
03/05/2018 - 16h34min

Luciane homenageia Movimento de Mulheres Camponesas pelos 35 anos

Imprimir Enviar

“Pra mudar a sociedade do jeito que a gente quer, participando sem medo de ser mulher”. A luta por direitos às trabalhadoras do campo, como a tão sonhada aposentadoria, não seria realidade não fosse por um grupo de mulheres que deixaram suas casas, os filhos e os afazeres, para ocuparem as ruas e denunciarem a falta de dignidade para quem vive no campo.

O Movimento de Mulheres Camponesas de Santa Catarina esteve à frente de inúmeras conquistas e são essas histórias de luta que precisam ser lembradas neste mês de maio, data em que o MMC/SC completa 35 anos, destaca a deputada estadual Luciane Carminatti, coordenadora da Bancada Feminina da Assembleia Legislativa.

“Nessas mais de três décadas, a caminhada foi árdua para milhares de trabalhadoras que venceram o preconceito, a violência, a falta de estrutura e de apoio para quebrar barreiras e conquistar autonomia. Hoje o MMC é referência na organização, trabalho de base direto com as comunidades e formação, visando o empoderamento das mulheres”, relata Luciane.

O Movimento surgiu nos anos de 1980 quando as trabalhadoras rurais iniciaram a própria organização, em defesa da libertação da mulher, do direito à sindicalização e à documentação pessoal, dos direitos previdenciários como salário maternidade e aposentadoria e também pela participação política.

No entanto, de acordo com a parlamentar, os ataques recentes aos direitos dos trabalhadores voltam a atingir diretamente as famílias que vivem no campo. “A reforma da previdência, que ainda pode ser votada, acaba com o direito à aposentadoria para as camponesas. Os cortes na área da saúde, na educação e dos programas voltados à agricultura familiar reduzem a renda e aumentam a desigualdade. É contra estes retrocessos que as mulheres do Movimento estão unidas mais do que nunca, por nenhum direito a menos”, afirma Luciane.

Pelo fim da violência contra a mulher
Além da luta pela aposentadoria, acesso à saúde, produção de alimentos saudáveis e renda digna, o MMC de Santa Catarina tem atuado fortemente contra a violência doméstica que ocorre no meio rural. O Movimento foi parceiro na realização dos 12 seminários regionais organizados pela Bancada Feminina da Alesc em todas as regiões do Estado.

“A violência atinge mulheres do campo e da cidade, mas é ainda mais dura para quem vive no meio rural. Os meios de proteção estão distantes e quando a violência bate à porta, a mulher não tem a quem recorrer. Trabalhar este tema com o MMC resultou em grandes ações, que a partir deste ano serão implementadas para garantir também proteção às mulheres do campo”, avalia Luciane.

Acompanhe Luciane Carminatti


Luciane Carminatti
Voltar