Assembleia Legislativa do Estado de Santa Catarina Agência AL

Facebook Whatsapp Twitter Youtube Instagram

Pesquisar

+ Filtros de busca

 
Assistir
20:30 TVAL Notícias
Ao vivo

Revista Digital

Cadastro

Mantenha-se informado. Faça aqui o seu cadastro.

Whatsapp

Cadastre-se para receber notícias da Assembleia Legislativa no seu celular.

Filtrar por deputado / bancada
Aumentar Fonte / Diminuir Fonte
20/05/2020 - 11h31min

CPI dos Respiradores chega à segunda fase de depoimentos, anuncia relator

Imprimir Enviar
Relator da CPI Ivan Naatz e o presidente, deputado Sargento Lilma, coordenam os trabalhos
FOTO: Solon Soares/Agência AL

A comissão parlamentar de inquérito (CPI) da Assembleia Legislativa que investiga supostas irregularidades na compra de 200 respiradores artificiais ouviu mais cinco pessoas ligados ao setor administrativo e de compras do governo na reunião desta terça-feira (19) no Auditório Antonieta de Barros. Segundo o relator e proponente da CPI , deputado Ivan Naatz (PL), com isso ficou encerrada a primeira fase do cronograma de trabalho que tinha o objetivo de esclarecer e compreender  como funciona o trâmite de compras e licitações  dentro da estrutura governamental, especificamente neste período de situação emergencial de enfrentamento da crise do coronavírus, identificando procedimentos e eventuais falhas cometidas.

“A partir de agora, na segunda fase, os depoimentos envolverão os servidores e autoridades do setor de saúde ligados diretamente ao processo de dispensa de licitação e aquisição dos 200 respiradores com pagamento adiantado de R$ 33 milhões, que é o objeto específico da CPI”, explica Naatz.  Na quinta-feira (21), às 10 horas, a comissão prossegue os trabalhos com a participação de outros quatro depoentes: Carlos Roberto Costa Júnior, assessor jurídico da Secretaria de Estado da Saúde (SES); Luiz Felipe Ferreira, controlador-geral do Estado; Carlos Charlie Campos Maia, diretor de Licitações e Contratos da SES; e Wagner Tadeu Martins Queiroz, engenheiro eletricista da SES.

Ainda conforme o relator, já foi solicitado o compartilhamento de informações dos inquéritos e informações da Policia Civil, Ministério Público e Tribunal de Contas no sentido de agilizar os trabalhos e a elaboração do relatório final previsto para entre 60 e 70 dias, embora o prazo regimental seja de 120 dias. Já para a próxima semana está prevista a oitiva dos ex-secretários de Saúde, Helton Zeferino, e da Casa Civil, Douglas Borba. Uma possível acareação entre os dois, se necessário, pode ocorrer na reunião do dia 28 de maio, segundo prevê o relator Ivan Naatz .

 

Comunicação Gabinete com Agência Alesc

 

Acompanhe Ivan Naatz


Ivan Naatz
Voltar