Assembleia Legislativa do Estado de Santa Catarina Agência AL

Facebook Flickr Twitter Youtube Instagram

Pesquisar

+ Filtros de busca

 
Assistir
07:00
Ao vivo

Revista Digital

Cadastro

Mantenha-se informado. Faça aqui o seu cadastro.

Whatsapp

Cadastre-se para receber notícias da Assembleia Legislativa no seu celular.

Filtrar por deputado / bancada
Aumentar Fonte / Diminuir Fonte
15/05/2018 - 17h50min

CCJ aprova PL sobre venda do vinho colonial pela agricultura familiar

Imprimir Enviar
Deputado Padre Pedro Baldissera

Proposta de Padre Pedro resolve impasse de décadas para famílias que produzem uva e vinho

A Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), da Assembleia Legislativa, aprovou por unanimidade o projeto de lei 253/2017, que institui um tratamento simplificado para microprodutores de vinho – até 20 mil litros –, na maioria pequenos agricultores que estão impedidos de comercializar o chamado “vinho colonial”.
A proposta foi apresentada pelo deputado Padre Pedro Baldissera (PT) em 2017, e busca a resolução de um impasse que já dura décadas para a agricultura familiar e camponesa do Estado, que tem na produção do vinho colonial um importante complemento de renda. Na prática, a proposta inclui a vinicultura e a vitivinicultura na Lei Estadual 16.971/2016, que prevê tratamento favorecido e simplificado para microprodutores rurais.
Conforme Padre Pedro, a Lei Federal 12.959, de 12 de março de 2014, tipificou o vinho produzido por agricultor familiar, estabeleceu requisitos e limites para a sua produção e comercialização, além de definir regras para o registro e a fiscalização do estabelecimento do produtor. Esta legislação concede tratamento diferenciado na produção de vinhos da agricultura familiar, e a reconhece como um patrimônio cultural das regiões onde é predominante, em especial Santa Catarina e Rio Grande do Sul. Depois disso, em 2016, a lei complementar 155 avançou novamente, incluindo as pequenas empresas produtoras de vinho no Simples nacional, reduzindo sua carga tributária.
“Como a proposta alcançamos a agricultura familiar, que em sua maioria não possui CNPJ ou não é Microempreendedor Individual (MEI)”, explica o parlamentar. Na legislação atual, agricultores comercializariam utilizando nota de produtor rural, o que pode se tornar inviável para o comércio varejista. “A saída que encontramos aqui em SC foi a inclusão da produção de vinho da agricultura familiar nos efeitos da Lei 16.971, que institui o tratamento simplificado para o microprodutor primário”, complementa Padre Pedro.
Agora o projeto segue para análise na Comissão de Finanças e Tributação, e por fim na Comissão de Agricultura. Caso seja aprovado em ambas, segue para votação em plenário.



(48)9947-2049
(48)3221-2726
Comunicação
Mandato Popular
Deputado Padre Pedro Baldissera

Acompanhe Padre Pedro Baldissera


Padre Pedro Baldissera
Voltar