Assembleia Legislativa do Estado de Santa Catarina Agência AL

Facebook Flickr Twitter Youtube Instagram

Pesquisar

+ Filtros de busca

 
Assistir
14:00
Ao vivo

Revista Digital

Cadastro

Mantenha-se informado. Faça aqui o seu cadastro.

Whatsapp

Cadastre-se para receber notícias da Assembleia Legislativa no seu celular.

Aumentar Fonte / Diminuir Fonte
Publicado em 26/03/2018

Legados do pai e do político

Imprimir Enviar
O ex-governador Ivo Silveira, aos 88 anos, em uma de suas últimas entrevistas, concedida no final de 2006. FOTO: Eduardo Guedes de Oliveira/Arquivo

Um dos clichês ao se fazer o balanço da vida de um homem público é apontar os legados deixados por ele. No caso de Ivo Silveira, suas virtudes demonstram ser mais fortes que as obras e ações que desenvolveu enquanto deputado e governador.

O professor Celestino Sachet foi chefe da Casa Civil durante o último ano do governo Ivo Silveira. Tem como principais recordações a dedicação pelo trabalho e a humildade do ex-governador. “Não havia diferença entre os secretários, os motoristas, as pessoas na rua. Ele era igual, ele não se sentia superior aos outros”, diz.

Adversário dos tempos de Alesc, o ex-deputado Paulo Konder Bornhausen também destaca a humildade como uma das maiores virtudes de Ivo Silveira. Embora estivessem em lados opostos, transformaram-se em amigos. Tanto que, depois de aposentado, o ex-governador sempre passava pelo escritório de Paulo, no centro de Florianópolis, para conversar.

“Um grande catarinense, um grande deputado, um grande governador e um grande amigo”, afirma Bornhausen. “Deu um grande impulso na educação do estado, construiu a Assembleia Legislativa e dedicou-se muito ao interior. Ele tem um lugar marcado na história catarinense.”

Para os filhos, conciliador, humilde, sereno, honesto, simples são alguns dos adjetivos utilizados para qualificar o pai. “Ele deixou muitos ensinamentos em relação ao ser humano, muito respeito, muita humildade”, resume a filha Elisabete Silveira Brandalise. “Nos ensinou o que era certo, o que era errado.”

O ex-deputado Renato Silveira comenta que o pai, muitas vezes, ausentava-se de casa por causa das atividades políticas. Nem por isso deixou de ter muita influência na formação dos filhos e netos. “Deixou a marca de pacificação, de um homem digno, honesto. Ele saia na rua e não tinha inimigos”, afirmou.

Orgulho
O Palácio Barriga Verde não foi a única obra de expressão de Ivo Silveira. Ele deu início aos projetos que culminaram na construção da primeira ponte de concreto a unir a Ilha de Santa Catarina ao continente. A obra foi executada por seu sucessor, Colombo Salles, que dá nome a ponte.

Nas mensagens anuais à Assembleia, o governador se orgulhava dos números expressivos do crescimento da economia catarinense durante seu governo, que chegou a 16,9% em 1970, quando deixou o Executivo. Tudo isso num período em que o país enfrentava as tensões políticas desencadeadas pela chegada dos militares ao poder e o endurecimento do regime, com as restrições às liberdades políticas.

A educação também orgulhava Ivo Silveira. Foram construídas mais de 3 mil salas de aula, além da implantação do ensino profissionalizante e da criação da Fundação Catarinense de Educação Especial (FCEE). O Plano Estadual de Educação, elaborado durante seu governo, serviu de referência para todo o país.

Ivo Silveira também foi responsável pela criação da Cotesc, companhia telefônica que daria origem à Telesc, além do primeiro órgão voltado à promoção do turismo, o Deatur, em Florianópolis. Na agricultura, ampliou a estrutura da antiga Acaresc (que deu origem à Epagri) e foi um dos responsáveis por incentivar a produção de maçã, na qual Santa Catarina se destaca nacionalmente.

Homenagens
Pelo estado, o nome Ivo Silveira está espalhado por vias e prédios públicos. Na Capital, a Avenida Ivo Silveira é uma das principais do continente e foi construída durante a gestão do ex-governador. Em Navegantes, Rio do Sul, São José, Anitápolis e Irani também há vias com o seu nome.

O trecho da SC-108, entre Brusque e Gaspar, leva o nome do ex-governador, que ainda batiza vários ginásios de esporte, como nos municípios de Lages, Itajaí, Chapecó e Concórdia. Palhoça
Brusque, Paulo Lopes, Capinzal e Balneário Camboriú têm escolas com o nome do político.

Em Florianópolis, um edifício residencial no centro e um condomínio de prédios residenciais na avenida Ivo Silveira, no bairro Capoeiras, também receberam o nome do ex-governador.

Voltar