Assembleia Legislativa do Estado de Santa Catarina Agência AL

Facebook Flickr Twitter Youtube Instagram

Pesquisar

+ Filtros de busca

 
Assistir
00:30 Sessões - Seminários - Eventos
Ao vivo

Revista Digital

Cadastro

Mantenha-se informado. Faça aqui o seu cadastro.

Whatsapp

Cadastre-se para receber notícias da Assembleia Legislativa no seu celular.

Aumentar Fonte / Diminuir Fonte
Publicado em 04/07/2019

Número de cooperados no crédito cresce 42% em quatro anos

Imprimir Enviar
Agência do Sicoob em Estação Cocal, no Sul de SC; sistema tem 396 agências espalhadas pelo estado em 88% dos municípios catarinenses. FOTO: Sicoob Credija/Divulgação

Dos ramos do cooperativismo catarinense, o de crédito é o que tem o maior número de associados. De acordo com a Organização das Cooperativas de Santa Catarina (Ocesc), são 1,744 milhão de cooperados em 61 cooperativas, quase 70% do total de pessoas cooperadas no estado.  Desde 2015, o ramo registrou um aumento de 42,36% no número de associados.

A possibilidade da livre admissão, a educação cooperativa e a condição das cooperativas de crédito como alternativa os bancos convencionais explicam essa expansão. Elas também possibilitam que os associados ganhem dinheiro não apenas com as aplicações financeiras.

Como não visam lucro, o que sobra dos recursos gerados com as atividades das cooperativas é repartido entre os cooperados, algo que não acontece nos bancos convencionais. No ano passado essas sobras responderam por quase R$ 750 milhões só em Santa Catarina, segundo a Ocesc.

“O associado encontra os mesmos produtos financeiros que estão nos bancos, a preços mais competitivos”, comenta o presidente do Sicoob Central SC/RS, Rui Schneider da Silva. “Todo o destino da cooperativa é decidido nas assembleias, as sobras são rateadas entre os associados, as taxas são mais baixas, as tarifas também.”

Segundo a Assessoria de Comunicação do Sicoob Central SC/RS, a taxa de juros no crédito pessoal é de 1,9% ao mês (25,6% ao ano), enquanto a média do mercado em 2018 foi de 6,8% ao mês (120,5% ao ano). Os juros médios cobrados pelas instituições financeiras no cheque especial e no cartão de crédito rotativo se aproximaram da marca dos 305% ao ano. No Sicoob, conforme a assessoria, esses juros apresentaram uma média de 141% ao ano.

Presença
Em Santa Catarina, o Sicoob conta com 946 mil cooperados, espalhados em 39 cooperativas. O sistema está presente em 88% dos municípios catarinenses, com 396 agências. Nos últimos cinco anos, o número de cooperados cresceu 82% na Central SC/RS.

Para o dirigente, a condição do associado – que não é apenas cliente, mas dono da cooperativa – é outro diferencial do ramo. “O cooperado vê proximidade no atendimento. Para a cooperativa, ele não é uma conta, um número, ele é alguém que constrói aquilo”, disse Silva.

Da mesma forma, as cooperativas, mesmo ligadas a um sistema, focam sua atuação em prol dos interesses dos associados. “Cada sede de cooperativa tem a liberdade de criar produtos financeiros que atendam as necessidades daquela região”, completou.

Também com atuação em Santa Catarina, o Sicredi atribui os bons resultados do cooperativismo de crédito à proximidade com a realidade local.

“Uma das grandes características das cooperativas é ser uma instituição financeira com atuação local e regional, o que lhe permite conhecer profundamente a matriz econômica da região e estimular o que cada uma tem de melhor, além de atuar em aspectos que carecem de maior atenção. Além disso, os recursos captados em Santa Catarina são emprestados na própria região, o que faz com que não haja fuga de riquezas para outras partes do país. A economia e a riqueza produzidas em Santa Catarina ficam no Estado”, afirma a instituição, por meio de sua assessoria de comunicação.

No estado, o Sicredi conta com 11 cooperativas filiadas, que atendem mais de 226 mil associados, em uma rede de 122 agências, com presença em mais de 30% dos municípios. Desde 2014, a instituição aumentou em 52% o número de associados.

Empregos
Outra consequência visível da expansão do cooperativismo de crédito é a geração de empregos diretos. Na contramão do sistema bancário tradicional, que fecha agências e reduz postos de trabalho, as principais instituições do ramo de crédito no estado ampliaram consideravelmente sua rede de atendimento.

O Sicredi, por exemplo, desde dezembro de 2014, ampliou em quase 47% o número de agências em Santa Catarina. O número de colaboradores passou de 787 para quase 1,3 mil no mesmo período, um crescimento de 65%.

No caso do Sicoob, só na comparação entre 2017 e 2018, o número de funcionários aumentou 18%. Atualmente, em Santa Catarina, são 5,7 mil colaboradores.

Voltar